Notícia: CRF-PR se reúne com Prefeitura de Maringá para discutir vacinação de profissionais de saúde no município

Publicado em 26/04/2021

CRF-PR se reúne com Prefeitura de Maringá para discutir vacinação de profissionais de saúde no município


CRF-PR se reúne com Prefeitura de Maringá para discutir vacinação de profissionais de saúde no município

Na última quinta-feira, 22, a presidente do CRF-PR, Dra. Mirian Ramos Fiorentin, o farmacêutico Fiscal, Dr. Luciano Pacheco, e a presidente do Crefito-8, Dra. Patrícia Rossafa Branco, se reuniram com integrantes da Prefeitura de Maringá para discutir a vacinação de profissionais de saúde no município. Estiveram presentes o secretário de Saúde de Maringá, Marcelo Aguilar Puzzi, o secretário de Inovação, Aceleração Econômica, Turismo e Comunicação (Siacom), Marcos Cordiolli, e o superintendente da Siacom, Michael Tamura.

Durante a reunião, as presidentes do CRF-PR e do Crefito-8 levaram a preocupação levantada pelo Fórum dos Conselhos Profissionais da Área da Saúde - FCRAS-PR, sobre a falta de vacinas para os profissionais de saúde no município. Elas destacaram a urgência da vacinação e se colocaram à disposição para auxiliar a prefeitura no levantamento de profissionais que ainda não foram vacinados, para que desta forma seja possível compilar uma listagem de forma fidedigna. O objetivo dos Conselhos é, em parceria com a prefeitura, agilizar o processo de vacinação dos profissionais.

A presidente do CRF-PR, Dra. Mirian Ramos Fiorentin, ressaltou a importância da vacinação dos farmacêuticos do município. “Os farmacêuticos são grupo prioritário no Plano Nacional de Imunização e estão na linha de frente. Além disso, o boletim epidemiológico da SESA-PR aponta que a área farmacêutica é a 3ª com maior número de óbitos. Isso destaca ainda mais a urgência da vacinação para esses profissionais e é por isso que seguimos lutando”, afirma.

O CRF-PR segue em defesa da classe farmacêutica e em diálogo constante com as prefeituras para que os profissionais sejam vacinados em todos os municípios, para que assim, sejam cumpridos os Planos Nacional e Estadual de Imunização.



topo